POLÊMICO Damares: Bolsonaro ‘dará tão certo que vamos ficar 4, 8, 12 anos’

Foto:Valter Campanato/Agência Brasil

“Nós não vamos mais suportar essa nação ser governada por sanguinários e violadores de direitos, que são a esquerda, e não a direita”, afirma Damares

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, disse neste sábado (12) que o governo conservador de direita de Jair Bolsonaro (PSL) “vai dar tão certo que vamos ficar 4, 8, 12 anos”.

 “As pessoas me perguntam, mas Damares, já estão falando em reeleição? Sim, estamos precisando de pelo menos 12 anos para cuidar do Brasil”, afirmou ela, no segundo dia da Cpac, conferência conservadora que acontece em São Paulo.

“Nós não vamos mais suportar essa nação ser governada por sanguinários e violadores de direitos, que são a esquerda, e não a direita”, disse.

Damares, que foi apresentada pelo deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) como “ministra dos direitos direitos humanos de todos os humanos, não somente dos humanos bandidos”, afirmou que a esquerda está tentando “voltar a usurpar” o poder.

“É a alternância do poder, eles estavam no poder, agora somos nós, nos deixem trabalhar por favor. Se a gente não der certo tirem a gente do poder. Mas vai dar tão certo, que vamos ficar 4, 8, 12 anos”, disse a ministra, que foi ovacionada e recebida com gritos de “Damares” e “Aleluia”.

Segundo ela, “a esquerda precisa aceitar isso, porque aceitar dói menos”.

Para isso, disse Damares, os conservadores precisam começar imediatamente a se organizar para as próximas eleições. “Temos que ocupar as prefeituras e Câmaras de Vereadores, precisamos sair daqui com essa estratégia pronta.”

Ela alertou, no entanto, que a esquerda não pode ser subestimada, e comparou a oposição ao “cão”.”Nós não podemos subestimar o cão, o mal. Diferentemente de nós, eles jogam sujo, jogam pesado.”

Ela elogiou os jovens conservadores, dizendo: “Estou há 24 horas com esse público jovem e ninguém ainda me ofereceu um cigarro de maconha e nenhuma menina introduziu um crucifixo na vagina”.

Damares rebateu críticas do arcebispo dom Orlando Brandes, que criticou neste sábado durante missa em Aparecida (SP) “o dragão do tradicionalismo” e afirmou que “a direita é violenta e injusta”.

“Eles devem mesmo estar preocupados, porque somos terrivelmente cristãos”, disse. “E afirmam que somos violentos, mas nós é que reduzimos a violência neste país.”

TUPÃ ELEGEU BOLSONAROA ministra denunciou também que “mais de 40 povos indígenas no Brasil ainda matam filhos de mãe solteira, gêmeos ou bebês com deficiência física ou mental” e afirmou que Tupã, deus tupi-guarini, ajudou a eleger Bolsonaro e acabou com isso.Segundo ela, a esquerda é “hipócrita”, porque não denunciava os assassinatos, afirmando se tratar da cultura indígena –enquanto mostrava fotos de uma bebê indígena que teria sido enterrada viva, e alguém na plateia gritava “assassinos”.”Isso estava acontecendo no Brasil, mulheres tristes, deprimidas, porque precisam enterrar seus filhos, enterram e não morrem na hora, ficam curumins chorando debaixo da terra”, disse. “E a esquerda no poder dizia que o único direito do índio era a terra, a demarcação.””Tupã ouviu o clamor dos curumins e disse chega! Tupã fez presidente da República um homem que respeita curumim.”Damares rechaçou críticas da Igreja Católica a violações de direitos dos indígenas no Brasil, feitas durante o Sínodo da Amazônia, reunião liderada pelo papa Francisco no Vaticano.”Estão lá no sínodo dizendo que violamos direitos dos índios. Este governo veio para garantir os direitos para todos.”

Política ao Minuto

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será divulgado


*


%d blogueiros gostam disto: