JORNALISTA PARANAENSE: Policiais atiraram contra Andrei Francisquini antes da perseguição

PMs omitiram que dispararam cinco tiros contra carro do jornalista minutos antes da perseguição

Por Priscila Simões / Da Redação

Está claro que os policiais militares envolvidos no caso da morte do jornalista e publicitário Andrei Gustavo Orsini Francisquini, num suposto confronto na madrugada do último domingo (12), na Praça de Espanha, em Curitiba, trata-se de uma farsa tentando esconder o que seria uma execução. O Boletim de Ocorrência divulgado pela PM omite que Andrei foi abordado no início da Rua Vicente Machado, quando os PMs realizaram cinco disparos contra o carro da vítima antes que a perseguição tivesse início.

Curioso que esse detalhe crucial do caso não consta no BO, numa demonstração tácita que a tragédia está sendo manipulada para livrar os três policiais da responsabilidade de uma operação que começou como uma suposta abordagem rotineira, descambando para uma execução.

Segundo imagens de câmeras de monitoramento e testemunhas, Andrei Francisquini estacionou seu carro pouco antes de uma hora da madrugada, entrou num bar onde teria tomado uma cerveja com amigos. Voltou para o veículo cerca de 15 minutos depois, permanecendo no interior do carro, parado, por mais 10 minutos.

Nesse momento, uma viatura da PM passou pelo local e, notando a presença do veículo, deu marcha à ré e um dos PMs fez a abordagem. Ao perceber a presença do policial, Andrei ligou o veículo, acendeu os faróis e deixou o local, quando, o primeiro policial atirou duas vezes. O segundo ocupante da viatura, deflagrou mais três disparos.

Um dos projeteis provocou estilhaços e feriu um jovem que estava nas proximidades e isso se transformou na prova de que os policiais envolvidos nesta tragédia estão manipulando as informações a fim de transformar a vítima, Andrei Francisquini, como o responsável por sua própria morte.

Imagens

É importante salientar que todas essas informações estão registradas por câmeras e testemunhas. Pior, a ação dos policiais poderia ter causado uma tragédia ainda maior, já que o local é frequentado por multidões, principalmente jovens. Segundo testemunhas, o tiroteio causou pânico entre os frequentadores.

Fonte: Tribuna do Vale / PR

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será divulgado


*


%d blogueiros gostam disto: