Governador do Piauí apresenta plano de flexibilização para retomada da economia

Foto: Reprodução

Wellington Dias (PT) anunciou planejamento de volta gradual das atividades econômicas, suspensas desde 23 de março por causa da pandemia de coronavírus. Atividades são divididas em grupos de risco; não há data de quando flexibilização vai começar a acontecer.

Por Josiel Martins, G1 PI — Teresina

O governo do Piauí apresentou nesta terça-feira (2) o plano de retomada organizada das atividades econômicas no estado, que desde o mês de março restringiu o comércio e outros setores da economia por causa da pandemia do coronavírus. O planejamento prevê a flexibilização, mas não foi definida uma data de retorno.

A flexibilização será por fases, de forma gradual, e dividida em oito territórios: Parnaíba, Piripiri, Teresina, Floriano, Oeiras, São Raimundo Nonato, Bom Jesus e Picos. O primeiro grupo de atividades liberadas será composto pelas indústria de transformação, construção, comércio, agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura.

Veja serviços afetados pelo coronavírus no Piauí
O que fazer e para onde ir em caso de sintomas
Acompanhe a evolução da curva epidêmica no estado
O decreto de isolamento social no Piauí termina no dia 7 de junho. Para ser colocada em prática a retomada da economia, dois critérios básicos serão analisados: taxa de transmissão do coronavírus e a capacidade da rede hospitalar do Piauí de atender pacientes em casos graves, ou seja, a ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O risco de surto, segundo o governo do estado, deve ser minimizado.

“Estaremos nesse período trabalhando com entidades empresariais e de trabalhadores para que a gente tenha uma saúde, uma segurança. Quem vai dizer o momento da retomada, é a taxa baixa de transmissibilidade e uma capacidade de atendimento na rede hospitalar”, explicou o governador Wellington Dias (PT), na apresentação do plano de flexibilização.

“Quando vai ser? Vamos tomar a decisão com responsabilidade”, resumiu o governador. Ele pediu paciência para os setores da economia e afirmou que espera a publicação de uma nova rodada de pesquisa por amostragem de casos de coronavírus no Piauí para definir uma data da primeira fase de flexibilização.

Serão três fases de retomada, dividida por setores, cada uma com uma cor específica que determina o grau de prioridade: verde (alta priorização), amarelo (média priorização) e verde (baixa priorização). A definição da “prioridade” envolve o quanto o setor é importante para a economia, o que ele gera de emprego.

PRIMEIRA FASE (atividades de alta prioridade, do grupo verde): indústria de transformação, construção, comércio, agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura.
SEGUNDA FASE (atividades de média prioridade, do grupo amarelo): administração pública, defesa e seguridade social, atividades administrativas e serviços complementares, educação, saúde humana e serviços sociais, atividades financeiras, transporte, armazenagem e correio, alojamento e alimentação, atividades imobiliárias, eletricidade e gás.
TERCEIRA FASE (atividades de baixa prioridade, do grupo vermelho): artes, cultura, esporte e recreação, indústrias extrativas, água, esgoto, atividades de gestão de resíduos e descontaminação, serviços domésticos.
IMPORTANTE: Cada fase dura 14 dias. Em caso do avanço de números de casos, a fase é interrompida e se volta ou ao fechamento total ou à fase anterior.

Setores da flexibilização da economia no Piauí — Foto: Reprodução

Protocolos de saúde específicos para cada atividade estão em desenvolvimento. “São regras da saúde para proteção aos administradores, empresários, trabalhadores, clientes, fornecedores, preocupação de reorganização”, explicou. Uma consulta pública será aberta para sugestões de protocolos.

Segundo o governo, a previsão é de uma queda de R$ 4 bilhões no PIB, soma de todas as riquezas, de 2020 do estado por causa da pandemia de coronavírus. “Vamos reconstruir, mas com segurança. Queremos prevenção para ao mesmo tempo ter o olhar para a retomada da economia, organizada, prevenindo para ao sair, sair com o mínimo de risco, para não ter o crescimento abrupto de infectados, de doentes e tendo um colapso na rede hospitalar”, explicou.

Decretos determinam distanciamento social
Para evitar a contaminação pelo vírus, o isolamento social e medidas emergenciais foram determinadas por meio de decretos do governo do estado e das prefeituras, como na capital piauiense, para que a população fique em casa e evite ao máximo ir às ruas. Aulas em escolas e universidades, a maioria das atividades comerciais, esportivas e de serviços em geral estão suspensas por tempo indeterminado.

Serviços essenciais como farmácias, postos de combustíveis e supermercados continuam mantidos mas estão regulamentados. O atendimento em clínicas, hospitais e laboratórios, assim como o funcionamento de escritórios de advocacia e contábeis também foram liberados mediante cumprimento de regras.

O uso de máscaras em locais públicos tornou-se obrigatório em todo o estado. Policiais fazem abordagens nas fronteiras do estado a ônibus e veículos particulares. Os decretos preveem que quem descumprir as regras pode ser penalizado com multa ou até prisão.

Please follow and like us:

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será divulgado


*


error

Enjoy this blog? Please spread the word :)

Facebook
Twitter
Instagram
%d blogueiros gostam disto: