Especialista do Sicredi dá dicas de como organizar a vida financeira em 2020

Consultor de negócios da Central Sicredi Brasil Central, Leonan Artiaga / Foto: Divulgação

Um dos maiores desafios para todo início de ano é a organização da vida financeira, que começa com o pagamento de contas como matrículas e material escolar, pagamento de IPVA, IPTU, entre outras. Para o consultor de negócios da Central Sicredi Brasil Central, Leonan Artiaga, um bom ponto de partida para que você não fique endividado é identificar qual o seu orçamento mensal, para que possa definir seus objetivos. Para os assalariados, Leonan explica que a reserva de uma parcela do 13º salário, que foi paga entre os meses de novembro e dezembro, deveria ter sido feita para custear estas obrigações.

Para quem é autônomo, a orientação é sempre fazer reservas mensais durante o ano para pagar à vista estes compromissos, uma vez que é possível conseguir bons descontos. “Caso o consumidor não tenha feito essas reservas, sugerimos a quitação das obrigações que possuam maior valor e o parcelamento das menores dívidas”, ressalta. 

Ele lembra que esse planejamento é extremamente importante e pode ser feito com o apoio da sua instituição financeira. “Alguns bancos oferecem essa orientação para seus clientes. No Sicredi, além de uma consultoria para o associado, disponibilizamos palestras com o tema “Educação Financeira”. Desse modo, contribuímos com a melhoria de sua vida econômica, propondo estratégias para cada momento de vida”, ressalta. Outro ponto de destaque é que as instituições podem contribuir com orientações quanto as melhores linhas de crédito a serem adotadas, de acordo com a necessidade e realidade financeira de cada pessoa.

“O ideal é que apenas 30% do orçamento pessoal (salário) seja comprometido mensalmente com linhas de crédito, para que não haja dificuldade financeira. E principalmente que esta venha de fato para melhorar e não se tornar uma bola de neve no futuro”, explica. 

O que esperar?

Em sua análise, Leonan ressalta que o ano de 2020 será muito desafiador para a população brasileira em termos econômicos. “Temos a perspectiva de que a nossa moeda continue desvalorizada frente ao dólar, com uma cotação média de R$ 4,20. Para os poupadores, a sugestão é que diversifiquem a sua carteira de investimentos, uma vez que a tendência é que a taxa Selic se mantenha entre 4 % e 4,5 % durante este ano e consequentemente a taxa CDI se mantenha baixa. Para quem iniciou o ano com dívidas, a orientação é que negociem os juros e façam parcelamentos, de acordo com a sua capacidade financeira e no menor prazo possível.

O objetivo tem que ser o de liquidar estas operações o quanto antes e não extrapolar para o próximo ano”, explica. Outra dica é se esforçar ao máximo para não comprometer todo o orçamento mensal e construir, mesmo que aos poucos uma reserva financeira. “Quando digo realizar uma reserva financeira mensal isso não quer dizer altos valores ou ser algo grandioso, na verdade com pequenas mudanças de hábitos e com modestas quantias sendo poupadas ,e à medida que o tempo passa e nossa educação financeira se solidifica, podemos aumentar estes aportes”, reflete. Para o planejamento, Leonan dá algumas dicas de como iniciar:
*       Sempre destinar cerca de 15 % do seu orçamento para uma reserva financeira de emergência (poupança) *       Reservar em média 10% do seu orçamento mensal para lazer (viagens, passeios) *       Nunca comprometer mais que 75% do seu orçamento com despesas mensais fixas (aluguel, energia, água, telefone, supermercado, farmácia) *       Existem vários aplicativos com orientações sobre educação financeira (inclusive familiar) para auxiliar no controle de suas despesas, disponíveis gratuitamente em celulares com sistema Android ou IOS.

Da Assessoria / FatoMais / Sicredi Planalto Central

Please follow and like us:

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será divulgado


*


error

Enjoy this blog? Please spread the word :)

Facebook
Twitter
Instagram
%d blogueiros gostam disto: