ENERGIA Caiado já aponta possível empresa para assumir lugar da Enel em Goiás

Governador relatou que já iniciou conversas com a EDP, que cuida da distribuição de energia no Espírito Santo. A sugestão é que a italiana troque ativos com a possível nova gestora

O governador Ronaldo Caiado (DEM) informou em coletiva de imprensa nesta terça-feira, 14, que, em reunião com representantes da Enel nesta manhã, disse a eles que o interesse do Estado está na troca da empresa responsável pelo abastecimento de energia em Goiás. O democrata inclusive aponta que já tem conversado com representantes da EDP, distribuidora de energia elétrica do Espírito Santo, para, caso seja possível, efetuar a troca de ativos com a empresa italiana.

De acordo com Caiado, na reunião com o diretor global de infraestrutura da Enel, Lívio Galo, a empresa apresentou propostas que já haviam sido prometidas antes e não foram cumpridas. “Ele veio com a diretoria, responsável pela Enel de Goiás, dizendo do interesse deles em montar uma força de trabalho, contratar mais 1.500 pessoas, criar estruturas regionais capazes de poder atender com maior celeridade os consumidores”, detalhou.

Entretanto, as palavras dos representantes não convenceram o governador. “É sempre a mesma tese. E, no entanto, no mês de outubro e de novembro houve a maior crise de falta de energia no Estado de Goiás, com falta de energia elétrica por vários dias em várias regiões, e, sim, um colapso até mais grave do que de anos anteriores”, argumentou.

“Então o que eu disse a ele foi da falta de credibilidade da Enel junto à população. As pessoas não confiam mais naquilo que eles assinam e nem naquilo que eles dizem. Já foi criado um sentimento em Goiás de que a Enel não tem respeito pelo Estado”, acrescentou.

Para o democrata, “torna-se impraticável a continuidade da Enel em Goiás”. E citou o projeto de Lei que tramita na Assembleia Legislativa de Goiás para encampação, isto é, rescisão do contrato de venda da Celg D e, ainda, o relatório da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que pediu a caducidade do contrato.

Nova empresa

“Eu disse a eles que o melhor, neste momento, já que é um fato costumeiro, seria nós buscarmos uma outra empresa. E eu já tive a oportunidade de ontem falar com o presidente da EDP, que é uma empresa que presta serviço em alguns Estados no país, e também investe muito na área de geração de energia. O representante deles no Brasil disse que, havendo espaço, teria todo interesse em poder prestar serviço em Goiás”, detalhou.

A sugestão de Caiado é que haja um entendimento entre as empresas, por meio de troca de ativos. Ele disse que, num primeiro momento, houve uma reação negativa dos representantes da Enel, que voltaram a se comprometer em transformar Goiás na maior distribuidora do país.

“Mas eu disse que já ouvimos isso e que agora nosso interesse é trocar as empresas, com troca de ativos entre elas e a outra assume. Em contrapartida pode-se fazer isso com a maior tranquilidade, já que a EDP tem prestado um serviço de referência no Estado em que atua”, justificou o governador.

O democrata também disse que irá levar essa possibilidade ao ministro de Minas e Energia e ao presidente da República. O processo de transição para outra empresa, no entanto, não foi aceito pela Enel.

Em nota, a empresa italiana rebateu alguns pontos:

A Enel Distribuição Goiás reafirma o seu compromisso com o Estado e com os clientes goianos desde que assumiu a gestão da Celg-D em 2017, e continuará dedicando todos os seus esforços para garantir a confiabilidade do serviço no Estado. A empresa ressalta que em 2020 investirá mais de R$ 1 bilhão na rede elétrica de Goiás, cerca de 5 vezes mais do que os níveis históricos anteriores à privatização.

A companhia informa que encerrou o ano de 2019 cumprindo todas as metas previstas no plano de ações e investimentos acordado em agosto com o Ministério de Minas e Energia, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e o Governo Estadual.

A Enel esclarece que segue trabalhando fortemente e que os resultados já alcançados atestam o comprometimento da Enel no Estado, inclusive com a criação de novos empregos e capacitação de mão de obra local. Como parte do acordo firmado em agosto, a Enel acrescentou 102 MVA de potência instalada ao sistema elétrico goiano, totalizando 102% do previsto para dezembro de 2019. Entre agosto e dezembro do ano passado, a empresa também concluiu 709 novas conexões rurais, alcançando 103% do total previsto para o período. Para os próximos anos, a empresa aumentará de forma expressiva o número de conexões por ano, para cumprir com as solicitações históricas geradas nos últimos 10 anos. O plano de ações também previa, até o final de dezembro de 2019, a liberação de 207 MVAr por meio da instalação de bancos capacitores em subestações. Com a aceleração das obras, foram liberados 222 MVAr, alcançando 107% do acordado.

A companhia informa, ainda, que como resultado de meses de trabalho na construção de novas subestações, que são obras de grande complexidade, entregou duas subestações, uma em Mineiros e outra em Anápolis, e uma grande ampliação na subestação Trindade, todas em dezembro. Além disso, estão previstas para 2020 mais seis subestações e outras 121 ampliações e modernizações. A empresa ressalta que seguirá cumprindo rigorosamente o cronograma estabelecido para acelerar o aumento da oferta de energia e melhorar a qualidade do serviço em todo o Estado.

Fonte: Jornal Opção

Please follow and like us:

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será divulgado


*


error

Enjoy this blog? Please spread the word :)

Facebook
Twitter
Instagram
%d blogueiros gostam disto: