Câmera de alta precisão para medição de temperatura pode ajudar a conter disseminação de doenças como a Covid-19

Fotos: Divulgação

Por Paula Batista

Experiências atuais na Argentina, México e Brasil mostram que a tecnologia ajuda não só na detecção, mas na proteção ao contágio dos profissionais de saúde e da população

Epidemias e pandemias assustam o mundo de tempos em tempos. Pela primeira vez em anos um vírus tomou proporções globais inimagináveis, causando milhares de mortes, perdas econômicas sem precedentes e imprevisões quanto aos danos residuais àqueles que sobrevivem à Covid-19.

No mundo, diversas áreas da ciência buscam soluções, que vão de medicamentos a vacinas, ainda experimentais, enquanto a Organização Mundial de Saúde, médicos, enfermeiros e profissionais da segurança pública atuam em condições de risco buscando identificar os possíveis casos nas triagens, fazendo isso, na maioria das vezes, por meio de um contato muito próximo aos possíveis infectados. E os danos, nesses casos, podem ser ainda maiores, como ocorre na Espanha, que anunciou, no dia 30 de março, um número assustador de profissionais da saúde infectados com a doença, chegando a quase 12,3 mil. No Brasil, diversas ocorrências estão sendo notificadas em vários estados.

Em situações como essas, poder manter uma distância segura, principalmente na triagem, pode ajudar a salvar muitas vidas. “Uma das coisas que esse vírus está ensinando ao mundo é que nós, humanos, precisamos muito da tecnologia para detectar, antecipadamente, focos de risco e minimizar as chances de que um vírus evolua se transformando no que vemos hoje, uma pandemia. E temos experiências bastante positivas nesse sentido, como é o caso das câmeras térmicas para medição de temperaturas”, comenta Jobel Araújo, gerente da Mobilis.

A Mobilis é uma empresa brasileira especializada em tecnologia, oferecendo desde soluções para o reconhecimento facial, realidade aumentada e gestão de trânsito, entre outras. Agora, a Mobilis é também uma parceira credenciada da Dahua Technology – maior empresa global de segurança eletrônica, cujos produtos e serviços são usados em mais de 180 países -, e vai oferecer uma solução que pode fazer a diferença na detecção de temperaturas alteradas de pessoas que circulam por locais como aeroportos, metrôs, rodoviárias, shoppings centers, escritórios, indústrias, hospitais, escolas etc.

A câmera térmica da Dahua Technology é uma tecnologia de baixo custo, altamente confiável e pode ser usada em longa distância, ou seja, é um recurso seguro para uma triagem preliminar. “É um equipamento de medição de temperatura de alta precisão, com uma margem de erro muito pequena (+ou- 0,3ºC). Utiliza Inteligência Artificial para identificar rapidamente pessoas com temperatura corporal anormal a uma distância de 3 metros”, explica Araújo.

Além disso, o executivo ressalta a possibilidade de medição de temperatura de múltiplos indivíduos, até 15 simultaneamente, e de até três faces por segundo em monitoramento de fila, mantendo a alta precisão na detecção de faces mesmo que as pessoas estejam usando máscaras. “Já temos exemplos bastante positivos no uso dessa tecnologia, como é o caso do Aeroporto Internacional de Ezeiza, na Argentina, que consegue medir a temperatura de mais de 800 pessoas em apenas 10 minutos. Outro exemplo é o Plaza Carso, na Cidade do México, um dos maiores empreendimentos de compras e escritórios da América Latina, que usa as câmeras para medir a temperatura dos funcionários e clientes”, conta.

Experiência brasileira no uso da tecnologia para medir temperatura

O Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) está atuando como apoio operacional nas ações de triagem de casos suspeitos de coronavírus, além de oferecer suporte na identificação e detecção de casos urgentes. A chefe da Comunicação do Corpo de Bombeiros, Major Lorena Athaydes, conta que a corporação já dispunha de câmeras térmicas, empregadas na avaliação da dinâmica do incêndio. “Assim, realizar monitoramento do público flutuante em locais determinados foi a maneira que a corporação encontrou para, dentro dos recursos disponíveis, auxiliar o governo e a comunidade do Distrito Federal”, explica.

Segundo ela, as ações de monitoramento acontecem com emprego de câmeras térmicas e termômetros, e são executadas em três vertentes. A primeira, realizada com o apoio da Polícia Rodoviária Federal, é o monitoramento da temperatura dos passageiros de ônibus interestaduais, que chegam pelas BR 040 e 060. “Os ônibus são parados e os passageiros têm sua temperatura aferida. Para aqueles que apresentam estado febril ou febre são feitos os atendimentos e caso haja necessidade o CBMDF faz o transporte até hospital de referência”, conta.

No aeroporto, o monitoramento ocorre na área de desembarque nacional e internacional. “Neste caso, os passageiros que apresentam elevação da temperatura corporal são conduzidos ao posto médico da ANVISA, que possui protocolo próprio para atendimento à COVID-19. O transporte, caso necessário, é realizado pelo Corpo de Bombeiros até hospital de referência”.

A Major destaca, ainda, que recentemente foi inserido o monitoramento dos transeuntes nas feiras do Distrito Federal, que ocorre de forma semelhante ao dos aeroportos. “Estas ações de medição de temperatura são acompanhadas de orientações gerais sobre prevenção, principais sintomas e recomendações de como reduzir o risco de contaminação. Nesse sentido, as câmeras térmicas têm se mostrado positivas sobre o viés preventivo e educativo. Dentro dos recursos disponíveis, e tendo como alvo a prevenção, essas são as ações propostas pelo CBMDF como ferramentas para o enfrentamento à COVID-19”, diz.

Please follow and like us:

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será divulgado


*


error

Enjoy this blog? Please spread the word :)

Facebook
Twitter
Instagram
%d blogueiros gostam disto: